O resgate dos Conceitos 2: Comunidade e Sociedade.

conceito-do-princc3adpio-da-sociedade-da-ideologia-da-comunidade-da-cultura-54338641.jpg

Tomando a civilização como dado sociológico, eminentes estudiosos da Ciência Política têm distinguido conceitualmente duas formas básicas de convivência humana, diametralmente opostas:

  • COMUNIDADE (Gemeinschaft) – Orgânica.
  • SOCIEDADE (Gesellschaft) – Mecânica.

Por Comunidade se entende a existência de formas de vida e organização social, onde impera essencialmente uma solidariedade feita de vínculos psíquicos entre os componentes do grupo. Simbólica ou alegoricamente a Comunidade é um organismo, feita de afetos, simpatias, afinidades, confiança, laços de dependência direta e mútua, idealista.
Por Sociedade se entende a ação conjunta e racional dos indivíduos no seio da ordem jurídica e econômica, nela os homens, a despeito de todos os laços, permanecem separados. Simbolicamente ou alegoricamente a Sociedade é um contrato, racionalizada por conveniência, estabelecida por ordem jurídica, materialista e artificial.

Essas duas concepções são fundamentais para o entendimento da Ciência Política.

“O Mecanicismo e o Organicismo são as duas formulações históricas mais importantes sobre os fundamentos da civilização, todo conceito que se der de civilização traduzirá na essência o influxo de uma ou outra concepção”.

Bonavides, Paulo. (Ciência Política – Editora Malheiros).

Na atualidade, predomina a Sociedade, sempre que o “cosmopolitismo” está presente. Onde existem resquícios de “regionalismo” encontra-se a Comunidade.

A idéia de luta de classes se apresenta obrigatoriamente na Sociedade (mecanicismo), onde impera os interesses dos indivíduos e dos grupos em detrimento do bem geral e/ou coletivo. Esses grupos atuam buscando sempre o benefício próprio, mas podem juntar forças e compactuar sempre que houver um interesse oportuno e/ou um grupo oposto em comum.

Podemos constatar, em nossa sociedade atual, alguns agrupamentos, entre eles:
I. Trabalhadores;
II. Empreendedores / Produtores;
III. Financistas / Especuladores;
IV. Políticos;
V. Marginalizados / “Párias”.

Reflexão:
Reflita sobre se os momentos de ápice civilizatório se apresentam quando os grupos estão interagindo entre si harmoniosamente, de acordo cada qual a sua vocação (função) social e com um objetivo em comum, ou quando estão interagindo entre si de forma conflituosa, onde prevalece às diferenças sobre as afinidades? Como essas relações se apresentam em nosso país e quais caminhos podemos apontar para solucionar tal questão?

Texto de Wilson Santos (Chefe Nacional adjunto).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s